Do espaço


Meu planeta é muito bonito visto do espaço, o esbranquiçado das nuvens misturando-se aos tons azulados dos oceanos compõem uma paisagem que encanta meus olhos. Toda vez que o contemplo sensações as mais variadas assaltam minha consciência. Assombro e melancolia se misturam com inquietude e raiva.


Tenho exatos trinta anos e vivi nele somente até os nove anos de idade. Hoje encontro-me vivendo em uma prisão espacial. Todos os dias nós damos dez voltas em torno do planeta. Tudo o que me restou é ver a beleza do mundo onde nasci através de uma diminuta janela.


Eu nasci lilás em um mundo de pessoa amarelas. Não é permitido que convivamos com os amarelos. Não me perguntem o porquê de ser assim, eu não saberia responder. Às vezes acho que sempre foi dessa maneira.


Quando nasci eu e meus pais fomos imediatamente levados para um lugar que estava cheio de pessoas lilases. Por vários anos fomos cuidados por máquinas e vigiados por soldados armados até que, em um belo momento, fomos transferidos para cá onde ficaremos até morrer.


Não sei porque tem que ser assim. Nós não temos doença alguma, somos iguais aos amarelos em tudo, a única coisa que nos distingue é a cor de nossa pele que é lilás.


Vivemos em condições terríveis aqui na Estação Gulag, a comida nunca é o bastante para todos e volta e meio alguém é assassinado. É uma vida dura a que levamos. Vivemos para o dia de hoje pois é muito difícil sequer nos planejarmos para uma vida de média duração.


Minha companheira está grávida. Nosso filho nascerá lilás e espero que ele seja bonito como a mãe. O que ensinarei para ele? Sei que ele não viverá muitos anos. Queria que um dia ele descesse ao planeta e pudesse respirar ar puro, andar descalço e ver as árvores.


A lembrança mais antiga e alegre que eu tenho é de minha mãe brincando comigo em uma praia. Gostaria também de um dia poder brincar com meu filho na areia de uma praia e ver o sorriso dele quando uma onda molhasse os seus pezinhos.


Do espaço contemplo o planeta onde nasci. Do espaço tento entender por que meu filho não poderá brincar na areia de uma praia.

0 visualização

© 2019 porandubarana. Orgulhosamente criado com Wix.com