• Elisa Ribeiro

Poema para começar o ano

Quando o rio chegou ao fim Quis em vão nadar de volta Medo da imensidão Revolta. Peixe sem asas Condenado à correnteza, Por que não nasci gaivota?

Na amplidão do oceano, Carente das margens de antes

Afundei no azul

Escuro. Em busca do lodo antigo Encontrei o desconhecido Saudade?

Quando o escuro chegou ao fim Uma luz me chamou pra fora O passado inerte, imóvel Quis conter minha alma indócil Inútil. O dourado da luz foi mais forte Convidando-me ao futuro

Prometendo melhor sorte.

0 visualização

© 2019 porandubarana. Orgulhosamente criado com Wix.com